This content is not available in your region

Brexit poderá impedir transportadora Iberia de voar

Access to the comments Comentários
De  Paula Sendin Rodriguez
Brexit poderá impedir transportadora Iberia de voar
Direitos de autor  REUTERS/Rafael Marchante/File Photo   -  

O governo espanhol está confiante de que a companhia aérea Iberia poderá continuar a voar no caso de um Brexit desordenado, apesar da maioria do capital pertencer a uma entidade com sede no Reino Unido (IAG).

Há um dupla condição, propriedade e controlo, e é possível que a Comissão Europeia não esteja convencida

Miguel Troncoso Jurista, consultor em direito comunitário

Mas a Comissão Europeia tem encorajado as empresas a verificarem se cumprem as exigências legais e pode não ser o caso, segundo Miguel Troncoso, jurista e consultor em direito comunitário.

"O problema que existe é o da propriedade e não o do controlo. A Iberia argumentou perante a Comissão Europeia que, embora a maioria do capital seja britânico, a gestão está nas mãos de empresas espanholas. Mas como há uma dupla condição, propriedade e controlo, é possível que a Comissão Europeia não esteja convencida, como parece que não está", disse, à euronews.

A Iberia transporta 19 milhões de passageiros por ano e tem 17 mil trabalhadores em Espanha.

A parte espanhola (Garanair, do grupo El Corte Inglés) tem a maioria dos direitos de voto, referentes à gestão corrente, mas deverá ter de encontrar uma solução sobre o capital para não correr o risco de ficar em terra.

O problema não se coloca só nos voos para o estrangeiro, mas também nos voos internos.

"No caso de um Brexit duro, a Iberia deixa de poder operar, claramente. Vai ser algo paradoxal, uma vez que o sistema é unitário, já não existem sistemas nacionais de licença, ao abrigo do regulamento europeu de 2008", explicou Miguel Troncoso.

"Será paradoxal, porque teremos uma empresa espanhola como a Iberia que não poderá operar nem sequer entre aeroportos no interior de Espanha. Ficará impedida de fazer ponte aérea porque a empresa não cumpre as exigências relativas à propriedade previstas pelo regulamento comunitário", acrescentou.

A data oficial para o Brexit é 29 março e o acordo prevê um período de transição até de Dezembro de 2020.

Mas se não houver acordo, entram em vigor planos de contingência por apenas alguns meses e a aviação poderá ser dos setores mais afetados.

Nome do jornalista • Isabel Marques da Silva