This content is not available in your region

UE e Alemanha divergem por causa do Nord Stream 2

Access to the comments Comentários
De  euronews
UE e Alemanha divergem por causa do Nord Stream 2
Direitos de autor  FRED TANNEAU/AFP or licensors   -  

A controvérsia sobre o gasoduto Nord Stream 2, destinado a transportar gás natural da Rússia para a Alemanha, foi abordada, esta quinta-feira, na reunião dos ministros da Defesa da União Europeia em Brecht, em França.

Numa entrevista, a ministra alemã da Defesa, Christine Lambrecht, advertiu contra o estabelecimento de uma ligação entre o gasoduto Nord Stream 2 e as divergências com Moscovo sobre a Ucrânia.

Questionado sobre o assunto, o Alto Representante para a Política Externa dos 27, Josep Borrell, distanciou-se da posição alemã colocando-se ao lado da linha dura de Washington, pressionando por sanções sobre o projeto, caso a Rússia invada a Ucrânia.

Esta não é uma infraestrutura que considerámos prioritária pois não contribuía para a autonomia energética da Europa. Certamente, o funcionamento desta infraestrutura dependerá, também, do desenvolvimento dos acontecimentos na Ucrânia e da atitude da Rússia. Não se pode imaginar que estamos a pensar, por um lado, em impor sanções e, por outro lado, em abrir as infraestruturas. Está, certamente, ligado à situação militar na Ucrânia. É óbvio.
Josep Borrell
Alto Representante da UE para a Política Externa

O chefe da diplomacia europeia acrescentou, ainda, que se, finalmente, as tensões com a Rússia diminuírem, então a decisão de abrir o gasoduto entre a Rússia e a Alemanha ficaria nas mãos dos reguladores alemães e europeus.

As conversações com a Rússia ainda estão em curso, mas as diferenças permanecem, assim como a ameaça de um novo conflito militar na Europa, uma vez que dezenas de milhares de militares russos permanecem junto da fronteira ucraniana.