This content is not available in your region

Samarcanda: joia da Rota da Seda abre-se ao mundo

Samarcanda: joia da Rota da Seda abre-se ao mundo
Direitos de autor  euronews   -  
De  Galina Polonskaya

Considerada uma das cidades mais antigas do Uzbequistão, Samarcanda está pronta para receber pessoas de todo o mundo, graças a um novo centro turístico.

O "Silk Road Samarkand" (Rota da Seda Samarcanda) tem vários hotéis modernos, um enorme centro de congressos e muito mais. Os construtores estão de olhos postos em tornar este polo turístico numa das estrelas da hospitalidade da Ásia Central.

“O Silk Road Samarkand vai impulsionar o desenvolvimento do turismo na cidade de Samarcanda. Esperamos, pelo menos, duplicar o fluxo de turistas, e a criação de empregos dará um impulso ao desenvolvimento da economia desta região”, sublinhou, em entrevista à Euronews, Artyom Yegikyan, diretor geral do Silk Road Samarkand.

Ao chegar a Samarcanda, uma ponte que liga o futuro e o passado transporta-nos ao coração do complexo turístico: uma interpretação moderna de uma cidade medieval, apelidada "cidade eterna." Foi criada por artesãos do Uzbequistão.

"Este complexo é interessante porque foi feito à mão por artesãos, artistas, hábeis marceneiros, ceramistas locais, o que o torna numa montra do melhor que o nosso povo pode fazer”, lembrou, orgulhoso, Bobur Ismoilov, autor e curador do Parque Etnográfico Histórico da Cidade Eterna.

A cidade mantém-se viva, até porque os artesãos que a criaram ficaram a trabalhar e a receber os hóspedes.

Abduvali Nabiev decorou a "cidade eterna" com cerâmica. É um mestre da antiga técnica cerâmica de Samarcanda, que estudou e pesquisou durante muitos anos. Cada região do Uzbequistão tem o próprio estilo.

“Viajámos por toda a república e estudámos cerâmica. A cerâmica de Samarcanda é diferente, os desenhos são diferentes, as cores são diferentes”, assegurou o artesão.

Já Firdavs Umarov passou a vida inteira a pesquisar a receita do famoso papel de seda de Samarcanda. Foi produzido por estas paragens durante o tempo da Grande Rota da Seda, há séculos atrás, e era famoso em toda a Europa. Umarov trabalha com os seus filhos que estão a aprender a dominar o processo complexo.

“Estou a fazer isto para a posteridade e para que o mundo inteiro saiba que o papel de seda foi reavivado em Samarcanda. Não há elementos artificiais e fica guardado por muito tempo, até mil anos. Esse é o tipo de papel especial aqui”, explicou Firdavs.

Os artesãos da "cidade eterna" não têm dúvidas de que em breve o "Silk Road Samarcand" e a sua "cidade eterna" serão famosos em todo o mundo.