O jornalista e ativista já esteve várias vezes preso e, neste momento, é a mulher, também ativista, que está encarcerada

Taghi Rahmani pede maior apoio da UE aos manifestantes iranianos

Em 2011, a organização não-governamental Repórteres Sem Fronteiras apelidou-o de "jornalista mais frequentemente detido".