Euronews is no longer accessible on Internet Explorer. This browser is not updated by Microsoft and does not support the last technical evolutions. We encourage you to use another browser, such as Edge, Safari, Google Chrome or Mozilla Firefox.

Última hora

Última hora

Arafat condena atentado de Telavive

Arafat condena atentado de Telavive
Tamanho do texto Aa Aa

O presidente da Autoridade Palestiniana condenou o atentado suicida de Telavive. Apesar de internado num hospital em França, Yasser Arafat telefonou ao seu braço-direito, Nabil Abu Rdainah, para repudiar este ataque e apelar a palestinianos e israelitas para evitarem a morte de civis.

O ministro encarregado das negociações, Saeb Erakat, reiterou a mensagem do seu líder, à entrada do Conselho de Ministros Palestiniano, em Ramallah, e apelou à comunidade internacional para envidar os esforços necessários à retoma do processo de paz, uma vez que é a única forma de pôr fim ao ciclo de violência. Face à ausência de Yasser Arafat, a Autoridade Nacional Palestiniana tenta transmitir sinais de unidade e normalidade na governação de forma a evitar lutas internas pelo poder. Quanto ao estado de saúde de Yasser Arafat, o primeiro-ministro, Ahmed Qorei, referiu esta manhã que o líder palestiniano está a recuperar gradualmente e que se encontra entre as boas mãos dos amigos franceses. Depois de um fim-de-semana de exames e tratamentos no Hospital Militar de Percy, nos arredores de Paris, os médicos descartaram a hipótese de leucemia e inclinam-se para uma infecção viral. Mas a equipa médica permanece cautelosa pois só na quarta-feira serão conhecidos os resultados dos exames.