A Euronews deixou de estar acessível no Internet Explorer. Este navegador já não é suportado pela Microsoft, e os mais recentes recursos técnicos do nosso site não podem mais funcionar corretamente. Aconselhamos a utilização de outro navegador, como o Edge, o Google Chrome ou o Mozilla Firefox.
Última hora

Altos quadros da Iukos fogem para Londres

Altos quadros da Iukos fogem para Londres
Euronews logo
Tamanho do texto Aa Aa

Dos maiores dirigentes da Iukos, um está preso e os outros fugiram. Numa altura em que se fala de desmantelamento do principal grupo petrolífero da Rússia, os membros do Conselho de Administração, incluindo o presidente executivo Steven Theede, deixaram a Rússia e foram para Londres, com medo de alegadas ordens de prisão.

Os dirigentes do grupo petrolífero acusam o Kremlin de perseguição política. Uma perseguição que terá estado na origem da prisão do magnata Mikhail Khodorkovski, antigo homem-forte do grupo, em Outubro do ano passado, por alegada fraude fiscal. De acordo com Moscovo, a Iukos deve quase 25 mil milhões de dólares, qualquer coisa como 19 mil milhões de euros, dívidas acumuladas desde o ano 2000. Para saldar uma parte desta dívida, o Estado russo vai vender em hasta pública, no próximo mês, a maior parte dos activos da principal divisão da Yukos, a empresa de extracção YuganskNeftiGaz. Os grupos estatais, nomeadamente a Gazprom, estão alegadamente interessados. A base de licitação, considerada demasiado baixa, é de 8,6 mil milhões de dólares, cerca de 6,6 mil milhões de euros.