A Euronews deixou de estar acessível no Internet Explorer. Este navegador já não é suportado pela Microsoft, e os mais recentes recursos técnicos do nosso site não podem mais funcionar corretamente. Aconselhamos a utilização de outro navegador, como o Edge, o Google Chrome ou o Mozilla Firefox.
Última hora

FMI preocupado com novos recordes do euro

FMI preocupado com novos recordes do euro
Euronews logo
Tamanho do texto Aa Aa

Mais um dia, mais um recorde histórico para o euro. O Fundo Monetário Internacional (FMI) foi a mais recente instituição financeira a mostrar preocupação com esta tendência. O director do FMI, Rodrigo Rato, disse, em Madrid, aquilo que vários actores da economia internacional, incluindo o presidente do Banco Central Europeu, Jean-Claude Trichet, já tinham dito: que a subida do euro é prejudicial para a economia da zona euro.

Também o ministro francês da Economia e Finanças, Nicolas Sarkozy, exortou os Estados Unidos a controlrem os défices e evitarem, assim, uma queda maior do dólar. Uma cotação demasiado alta do euro prejudica as exportações da Eurozona. Prejudicado fica também o turismo dos Doze. Quem vem dos Estados Unidos e de outros países onde o dólar é a referência, compra agora menos produtos pelo mesmo dinheiro. Uma turista norte-americana diz que “vem à Europa todos os anos e antes comprava bastantes produtos, mas agora compra menos, porque está tudo muito mais caro”. Esta quinta-feira, a moeda única europeia ultrapassou, pela primeira vez na história, a marca de 1,32 dólares. Foi o terceiro dia consecutivo em que o euro atingiu recordes face à moeda norte-americana. Vários analistas prevêem que a moeda europeia possa atingir 1,35 dólares antes do final do ano.