Euronews is no longer accessible on Internet Explorer. This browser is not updated by Microsoft and does not support the last technical evolutions. We encourage you to use another browser, such as Edge, Safari, Google Chrome or Mozilla Firefox.

Última hora

Última hora

Pentágono afirma-se incapaz de controlar violência no Iraque pós-eleitoral

Pentágono afirma-se incapaz de controlar violência no Iraque pós-eleitoral
Tamanho do texto Aa Aa

Foi um suicida que perpetrou o ataque no refeitório dos soldados norte-americanos em Mossul, no Iraque, na terça-feira. Esta é a convicção do chefe de Estado-maior conjunto, Richard Myers, anunciada em Washington, no Pentágono.

O ataque matou 22 pessoas, entre as quais 18 norte-americanos, 13 deles soldados. Interrogado sobre as condições de segurança nas bases dos Estados Unidos no Iraque, o secretário da Defesa, Donald Rumsfeld, afirmou que era impossível impedir todos os ataques e que pensar num Iraque pacificado depois das eleições de Janeiro é um erro, há que ser realista. Para além dos mortos, mais de 69 pessoas ficaram feridas, entre militares iraquianos, norte-americanos e civis contratados pelas forças da coligação. Para já todas as pontes que dão acesso a Mossul, cinco, estão encerradas. Ninguém entra ou sai, por questões de segurança.