A Euronews deixou de estar acessível no Internet Explorer. Este navegador já não é suportado pela Microsoft, e os mais recentes recursos técnicos do nosso site não podem mais funcionar corretamente. Aconselhamos a utilização de outro navegador, como o Edge, o Google Chrome ou o Mozilla Firefox.
Última hora

CE recua na introdução de alterações linguísticas na sala de imprensa

CE recua na introdução de alterações linguísticas na sala de imprensa
Euronews logo
Tamanho do texto Aa Aa

A proposta da Comissão Europeia de alargar a sete as línguas traduzidas durante as conferências de imprensa diárias do executivo comunitário foi hoje retirada depois da interpelação do embaixador português na UE.

Na proposta, línguas como o espanhol, o italiano e o neerlandês eram promovidas, enquanto o português não era contemplado. A medida, apresentada hoje pela porta-voz da Comissão Françoise Le Bail, ia ao encontro das reivindicações da Associação da Imprensa Internacional, nomeadamente dos jornalistas espanhóis e italianos destacados em Bruxelas, e acrescentava ao inglês, ao francês e ao alemão, quatro línguas: espanhol, italiano, neerlandês e polaco. Recorde-se que, à quarta-feira, após a reunião do Colégio de Comissários, a conferência de imprensa é traduzida nas vinte línguas oficiais da União. Nos restantes dias, a interpretação é nas três línguas de trabalho e na língua materna do comissário que intervem. Já no último Conselho de Emprego e Política Social dos 25, os ministros português, espanhol e italiano tinham vetado a discussão de um ponto por não disporem de documentos traduzidos em todas as línguas oficiais.