Última hora
This content is not available in your region

Síria a horas de anunciar retirada parcial do Líbano mas não convence Bush

Síria a horas de anunciar retirada parcial do Líbano mas não convence Bush
Tamanho do texto Aa Aa

Os olhos estão postos na Síria e no presidente Bachar al-Assad, que deverá anunciar hoje a retirada parcial do Líbano. Cada vez mais isolado internacionalmente e criticado mesmo pelos aliados, como a Arábia Saudita e a Rússia, al-Assad devera anunciar a medida num discurso no parlamento.

A Síria vai retirar uma parte dos 14 mil soldados que mantém no Líbano. Os restantes ficarão mobilizados na planície de Bekaa, no Leste do país vizinho, como estabelecido no acordo de Taef, assinado em 1989 e que pôs fim à guerra civil libanesa (1975-1990). Mas para o presidente americano não basta. Em New Jersey, George W. Bush afirmou que não bastam meias medidas, a retirada síria deve ser completa e incluir os serviços secretos e de informação, para que as eleições legislativas no Líbano, previstas para Maio, possam ser justas. É impaciente que o Líbano espera o anúncio da retirada mesmo que parcial da Síria. Há quem fale já de 2005 como o ano da independência. O Líbano encontra-se mergulhado numa enorme crise política desde o atentado que custou a vida ao antigo primeiro-ministro Rafic Hariri.
A Euronews deixou de estar acessível no Internet Explorer. Este navegador já não é suportado pela Microsoft, e os mais recentes recursos técnicos do nosso site não podem mais funcionar corretamente. Aconselhamos a utilização de outro navegador, como o Edge, o Google Chrome ou o Mozilla Firefox.