Última hora
This content is not available in your region

Equador vive golpe de Estado

Equador vive golpe de Estado
Tamanho do texto Aa Aa

Os deputados do parlamento nacional do Equador decidiram destituir o presidente Lucio Gutierrez, após um voto convocado pela oposição que o acusou de querer instaurar uma ditadura. Aparentemente, Gutierrez terá pedido asilo político ao Panamá.

O vice-presidente Alfredo Palacio assumiu a chefia do Estado equatoriano, num movimento apoiado pelas Forças Armadas do país. Há mais de uma semana que a demissão de Gutierrez era exigida em várias manifestações em todo o Equador. A crise foi agravada pela morte de um fotógrafo chileno, na noite de terça-feira, durante os confrontos entre manifestantes pró e anti-presidente, em Quito, a capital. A Cruz Vermelha equatoriana anunciou igualmente a morte de uma manifestante. Os opositores denunciavam as suas ingerências no Supremo Tribunal. Gutierrez foi eleito há 27 meses, com promessas de reformas económicas e sociais, que não cumpriu. O antigo coronel adoptou uma política de rigor, seguindo as exigências do Fundo Monetário Internacional. No passado sábado, Lucio Gutierrez tinha recusado apresentar a demissão perante a instabilidade que levou à declaração do estado de emergência.