A Euronews deixou de estar acessível no Internet Explorer. Este navegador já não é suportado pela Microsoft, e os mais recentes recursos técnicos do nosso site não podem mais funcionar corretamente. Aconselhamos a utilização de outro navegador, como o Edge, o Google Chrome ou o Mozilla Firefox.
Última hora

Israel rompe tréguas com operação militar na Cisjordânia

Israel rompe tréguas com operação militar na Cisjordânia
Euronews logo
Tamanho do texto Aa Aa

Um activista da Jihad Islâmica e um soldado israelita foram mortos, esta noite,numa troca de tiros, na localidade de Saida, próximo de Tulkarém, na Cisjordânia. O activista palestiniano, Shafiq Abdelghani, tinha fugido da prisão de Tulkarém há várias semanas e era procurado pelo exército israelita por suspeita de implicação no atentado suicida que fez cinco mortos, no dia 25 de Fevereiro, em Telavive.

Uma operação militar em território palestiniano a meio da trégua informal dos atentados contra Israel, que perdura desde Janeiro, e que já foi alvo de críticas por parte de dirigentes palestinianos. Isto num dia em que o governo de Ariel Sharon está a braços com mais uma crise interna. Natan Sharansky, o ministro para as Relações com a Diáspora, apresentou a demissão em protesto contra o plano de retirada israelita da Faixa de Gaza. Na carta de demissão, entregue durante a reunião do conselho de ministros, Sharansky defende que “a retirada vai exacerbar o terrorismo e enfraquecer a possibilidade de estabelecer uma sociedade palestiniana livre”.A saída de mais este ministro fragiliza o governo, mas não surpreende. Sharansky deixou clara a sua posição desde o anúncio do plano de retirada.