Última hora

Última hora

Clementina Cantoni está nas mãos de um grupo criminoso

Em leitura:

Clementina Cantoni está nas mãos de um grupo criminoso

Clementina Cantoni está nas mãos de um grupo criminoso
Tamanho do texto Aa Aa

As viúvas de Cabul, das quais se ocupava Clementina Cantoni, manifestaram-se hoje na capital afegã pedindo a libertação da jovem italiana ontem raptada por um grupo de homens armados. Contrariamente ao que se temia inicialmente, não foi um grupo radical islamita que a raptou, trata-se de um grupo criminoso, que reivindica a libertação de dois cúmplices.

A informação foi confirmada pelo porta-voz do governo afegão que disse aos jornalistas: “não vos posso dizer mais, temos informações mas receamos pela segurança da senhora Cantoni” Clementina Cantoni, de 32 anos, é funcionária da organização humanitária Care International. O director da organização conta que os raptores se aproximaram do carro com kalashnikovs; tentaram abrir as portas que estavam fechadas e partiram os vidros com a armas tendo levado Clementina à força”. Segundo fontes governamentais, o grupo propõe a troca da italiana por dois dos seus chefes – Tela Mohammed e Omara Khan – que foram detidos recentemente pela polícia. Clementina Cantoni trabalha há três anos no Afeganistão. O seu regresso a Itália estava previsto para o final do mês. Os sequestros no Afeganistão têm-se repetido. As organizações internacionais que trabalham no terreno e as representações diplomáticas aconselham prudência aos estrangeiros que se encontram no país.