Última hora
This content is not available in your region

Receio de epidemias aumenta em Nova Orleães

Receio de epidemias aumenta em Nova Orleães
Tamanho do texto Aa Aa

Já lá vão 10 dias desde a fúria do Katrina, mas a corrida contra o tempo intensifica-se. O receio de epidemias aumenta em Nova Orleães, a cidade mais afectada pela passagem do furacão. As autoridades norte-americanas anunciaram que cinco pessoas morreram devido a infecções bacterianas e alertam para que seja evitado o contacto com a água, contaminada com combustíveis e esgotos, e mesmo cadáveres.

As equipas de socorro continuam os esforços para minimizar o número de vítimas mortais que se prevê que seja na ordem dos milhares. Apesar da gigantesca operação em marcha, estima-se que ainda estejam dentro da cidade 10 mil pessoas. Algumas recusam abandonar as suas casas, outras pretendem sair. “Temos ainda milhares de pessoas que querem sair de forma voluntária. Continuamos a desenvolver operações de busca e salvamento. Se os meus homens começarem a retirar as pessoas à força… vamos deixar morrer muitos dos que querem, de facto, sair”, afirmou Eddie Compass, responsável da polícia de Nova Orleães. Mas nem tudo são más notícias. A ajuda internacional começa agora a chegar às zonas afectadas por aquele que é considerado o mais grave desastre natural da história dos Estados Unidos. Mais de 90 países e instituições ofereceram ajuda – alimentos, água, meios técnicos e humanos. Enquanto o esforço humanitário se intensifica no terreno, estão a ser preparadas várias comissões de inquérito com o objectivo de apurar as falhas na ajuda às vítimas da tragédia.