A Euronews deixou de estar acessível no Internet Explorer. Este navegador já não é suportado pela Microsoft, e os mais recentes recursos técnicos do nosso site não podem mais funcionar corretamente. Aconselhamos a utilização de outro navegador, como o Edge, o Google Chrome ou o Mozilla Firefox.
Última hora

Porto de Marselha paralisado após confrontos

Porto de Marselha paralisado após confrontos
Euronews logo
Tamanho do texto Aa Aa

O porto marítimo de Marselha, em França, ficou totalmente paralisado, esta terça-feira, na sequência de uma greve convocada pela Confederação Geral de Trabalhadores (CGT) em solidariedade com os empregados da Sociedade Nacional Marítima Corso-Mediterrânica (SNCM).

O governo pretende privatizar a empresa, que se encontra a braços com um endividamento na ordem dos 200 milhões de euros. O anúncio de que a Butler Capital Partners foi a sociedade escolhida para comprar a SNCM provocou a ira de trabalhadores da empresa. A entidade que o governo escolheu prevê despedir entre 350 a 400 trabalhadores. Na noite passada, algumas dezenas de empregados tentaram bloquear o porto e envolveram-se em confrontos com a polícia antimotim. Houve mesmo a tentativa de impedir um navio de partir. “Estamos em luta e vamos defender o nosso emprego até ao final. Faremos o que for necessário. Se for preciso afundamos os navios. Não somos criminosos. Defendemos os nossos salários e a nossa família”, diz um funcionário. A acção da polícia pôs termo ao protesto e duas pessoas foram detidas.