Última hora
This content is not available in your region

Trabalhadores da SNCM radicalizam protestos contra privatização da empresa

Trabalhadores da SNCM radicalizam protestos contra privatização da empresa
Tamanho do texto Aa Aa

A luta dos marinheiros da SNCM contra a privatização da empresa radicalizou-se ontem com o desvio de uma embarcação.

A acção foi conduzida por membros do Sindicato dos Trabalhadores Corsos, a mais influente organização sindical da ilha, que sequestraram o navio ancorado no porto de Marselha e rumaram a Bastia, no norte da Córsega. As autoridades ameaçam os trabalhadores com uma pena de 20 anos de prisão pelo desvio do Pascal Paoli, mas anunciaram um eventual recuo na intenção de privatizar a cem por cento a empresa de transportes marítimos. Os protestos dos trabalhadores da SNCM, que já duram há alguns dias, intensificaram-se depois de ontem o governo francês ter escolhido o fundo de investimento Butler Capital Partners para avançar com a privatização. Já na madrugada de ontem, o Porto de Marselha foi palco de confrontos entre a polícia e manifestantes que bloqueavam a zona portuária. Situação que se repetiu esta noite no Porto de Bastia. Christian Frémont, prefeito do departamento de Bouches du Rhône, que ordenou a carga policial, considera que “alguns funcionários da SNCM têm um comportamento suicida. A empresa tem 2400 empregados, espero que assumam a responsabilidade de garantir o futuro da companhia e do porto.” Para os funcionários, está fora de questão aceitar as propostas do governo e avisam que “a luta ainda está a começar.” Depois destas acções radicais, a situação de bloqueio portuário parece longe de estar normalizada, uma vez que os movimentos grevistas continuam a ser prorrogados diariamente.