Última hora
This content is not available in your region

Catalunha aprova mais autonomia, Madrid reage com prudência

Catalunha aprova mais autonomia, Madrid reage com prudência
Tamanho do texto Aa Aa

O Parlamento regional da Catalunha aprovou, hoje, um novo Estatuto de Autonomia, numa sessão histórica que pretende ser o primeiro passo do processo de reforma da lei que rege a região. O texto, que propõe um novo modelo financeiro e de gestão fiscal, foi aprovado com 120 votos dos partidos com assento parlamentar, excepto o Partido Popular da Catalunha, contrário à definição do território como “nação”. Este foi também o termo que terá suscitado alguma prudência por parte do governo espanhol. Maria Teresa Fernandez, vice-presidente do executivo, explicou que Zapatero “prometeu apoiar esta reforma votada pelo Parlamento catalão e irá apoiá-la no Parlamento de Madrid, o que não significa que o texto não tenha de ser aperfeiçoado, se há aspectos que representam ou possam representar problemas constitucionais”.

A reforma do modelo territorial espanhol foi um compromisso assumido pelo actual primeiro-ministro, José Luis Rodriguez Zapatero, em Abril de 2004, mas conta com a oposição feroz da direita. O PP exige que o governo Zapatero apresente no Parlamento de Madrid a mudança de Estatuto da Catalunha como uma reforma constitucional, que obriga a uma votação por maioria de dois terços, e não uma reforma estatuária. Se assim não for, a oposição prepara-se para reclamar a dissolução da Assembleia Parlamentar espanhola e pedir eleições gerais antecipadas. Uma situação delicada para o primeiro-ministro pressionado por centristas e nacionalistas.