Última hora

Última hora

Gerry Adams analisa situação no Ulster na véspera do recomeço das negociações

Em leitura:

Gerry Adams analisa situação no Ulster na véspera do recomeço das negociações

Gerry Adams analisa situação no Ulster na véspera do recomeço das negociações
Tamanho do texto Aa Aa

Esta quinta-feira, os líderes dos dois principais partidos da Irlanda do Norte encontram-se, separadamente, em Londres com o primeiro-ministro britânico, Tony Blair. As negociações de paz estão bloqueadas, mesmo após o histórico desarmamento do IRA. Os unionistas exigem provas fotográficas.

Gerry Adams, líder do Sinn Fein, analisa a situação numa entrevista à EuroNews.Questionado sobre a eventualidade das negociações terem avançado se o IRA tivesse filmado a destruição das armas, Gerry Adams respondeu: “Não acredito. Em primeiro lugar, tivemos a possibilidade de, através de muito trabalho do Sinn Fein, em Dezembro passado, ter dado um grande passo e de nos encontrarmos neste ponto. Isto é um processo. É preciso tempo para lidar com os problemas. Os unionistas têm receios genuínos quanto ao IRA, mas agora não têm razões para os ter. Como digo, é preciso um pouco de espaço para que tudo seja absorvido”. No terreno a paz não é de todo um dado adquirido. A polícia de Belfast deteve seis pessoas suspeitas de ligação ao homícidio de Jim Gray, na casa do seu pai, na terça-feira. Gray, de 47 anos, tinha sido expulso este ano do movimento protestante Associação de Defesa do Ulster (UDA), acusado de envolvimento em actividades criminosas como assaltos e tráfico de drogas.