Última hora
This content is not available in your region

Tchetchenos elegem primeiro parlamento em oito anos

Tchetchenos elegem primeiro parlamento em oito anos
Tamanho do texto Aa Aa

Cerca de 600 mil tchetchenos começaram a votar esta manhã para elegerem o primeiro parlamento em oito anos da república independentista do Cáucaso.

Moscovo descreve o escrutínio como a última etapa da “normalização do território”, para as organizações não governamentais tudo não passa de “uma farsa sob a ameaça das espingardas”. A população acolhe o escrutínio sem qualquer ilusão de mudança. O facto de haver eleições não reduziu os raptos de civis, nem as violações dos direitos humanos e muito menos ainda os confrontos esporádicos entre as forças federais e os rebeldes. Para além do status quo que vive o território, dos 600 mil eleitores 34 mil são membros das forças federais russas estacionadas na Tchetchénia. Entre os perto de 350 candidatos, há cinco oficiais russos e vários funcionários da administração pró-russa. Os dispositivos de segurança acabaram por ser os que mais mudanças sofreram para estas eleições. Se em condições normais são muito significativos, para a jornada eleitoral foram substancialmente reforçados. O presidente pró-russo da Tchetchénia, Alu Alkhanov, foi um dos primeiros a colocar na urna o boletim para eleger os 58 deputados que compõem o parlamento da república. O vice-primeiro-ministro Ramzan Kadirov deverá ser confirmado no cargo. A Organização para a Segurança e a Cooperação na Europa (OSCE) não enviou observadores para estas eleições “por razões de segurança”.
A Euronews deixou de estar acessível no Internet Explorer. Este navegador já não é suportado pela Microsoft, e os mais recentes recursos técnicos do nosso site não podem mais funcionar corretamente. Aconselhamos a utilização de outro navegador, como o Edge, o Google Chrome ou o Mozilla Firefox.