Última hora

Última hora

Risco de explosão ameaça combate às chamas que lavram há dois dias em Buncefield

Em leitura:

Risco de explosão ameaça combate às chamas que lavram há dois dias em Buncefield

Risco de explosão ameaça combate às chamas que lavram há dois dias em Buncefield
Tamanho do texto Aa Aa

O combate às chamas no centro de distribuição de combustíveis de Buncefield, a norte de Londres foi retomado ao final da noite de ontem.

A operação de alto risco levada a cabo desde domingo por 150 bombeiros foi interrompida durante várias horas face ao risco de explosão da cisterna número 7, depois do reacendimento de um dos focos de incêndio. A utilização de milhares de litros de espuma anti-fogo permitiu até agora extinguir as chamas em 10 das 20 cisternas. Mas a variedade de combustíveis na instalação, com uma capacidade de armazenagem de 150 mil toneladas, complica a acção dos bombeiros. A nuvem tóxica libertada pelo incêndio dirige-se para o sul da Europa. Depois de ter atravessado França ameaça agora Espanha. As autoridades médicas mantém o alerta para as pessoas com dificuldades respiratórias para os riscos decorrentes da inalação do fumo. Os ecologistas preocupam-se com a possibilidade de contaminação de lençóis de água e terrenos de cultivo. As circunstâncias das explosões que originaram o incêndio continuam por apurar. Segundo as autoridades tratou-se de um acidente. Responsáveis da instalação desmentiram ontem que uma fuga numa cisterna possa ter estado na origem das deflagrações que feriram mais de 40 pessoas e levaram à evacuação de mais de 2 mil habitantes.