Última hora
This content is not available in your region

Tribunal Europeu de Justiça confirma direitos dos passageiros aéreos

Tribunal Europeu de Justiça confirma direitos dos passageiros aéreos
Tamanho do texto Aa Aa

Os passageiros têm direitos e vão mantê-los. A notícia não agrada às associações de companhias aéreas, que estimavam que a União tinha ultrapassado as suas competências aos estabelecer o valor das indemnizações a pagar aos passageiros em caso de atraso ou anulação do voo.

A IATA e a ELFAA apresentaram queixa junto da justiça do Reino Unido, que, julgando-se incompetente na matéria, recorreu ao Tribunal Europeia de Justiça. Os juízes do Luxemburgo confirmaram a decisão europeia e consideraram que o montante das indemnizações não é excessivo.

As regras europeias, adoptadas em Fevereiro de 2004, defendem os passageiros em caso de anulações dos voos, overbooking ou atrasos.

Prevêem indemnizações que dependem da distância de voo e vão dos 250 euros, para voos inferiores a 1500 quilómetros, até aos 600 euros, para as distâncias superiores a 3500 quilómetros.

As companhias aéreas são ainda obrigadas a fornecer bebidas e alimentação e, em caso de atrasos ainda maiores, têm também de pagar o hotel.

Em caso de anulação do voo, a companhia deve propor o reembolso do bilhete ou um outro voo até ao destino. A escolha cabe ao passageiro.

Estes direitos, serão, pois, mantidos. Assim o decidiu o Tribunal Europeu de Justiça e as suas decisões não são passíveis de recurso.