Última hora

Última hora

Operação de urgência salva Ariel Sharon

Em leitura:

Operação de urgência salva Ariel Sharon

Operação de urgência salva Ariel Sharon
Tamanho do texto Aa Aa

Após quatro horas na sala de operações, os médicos do Hospital Hadassah de Jerusalém conseguiram estabilizar o estado clínico de Ariel Sharon.

A decisão de levar a cabo uma intervenção cirúrgica de urgência surgiu depois de se terem descoberto problemas de irrigação sanguínea no aparelho digestivo do primeiro-ministro. O resultado da operação foi divulgado a meio da tarde por Shlomo Mor Yossef, director do hospital: Ariel Sharon permanece em estado crítico e mergulhado num profundo coma, mas não corre perigo de vida nem teve complicações pós-operatórias. A rápida intervenção visou afastar o perigo de uma infecção interna que complicasse ainda mais o estado de saúde de Sharon. Por isso, após consultarem a família, os médicos decidiram proceder à ablação de um terço do intestino grosso do paciente. Depois de um ligeiro AVC em meados de Dezembro, o primeiro-ministro israelita foi internado no dia 4 de Janeiro com uma grave hemorragia cerebral. Desde então, Ariel Sharon, que faz 78 anos no final deste mês, não voltou a recuperar os sentidos e já teve de se submeter a sete intervenções cirúrgicas. O agravamento do estado de saúde do primeiro-ministro deu-se numa altura em que Sharon tinha concretizado a ruptura com o Likud e fundado um partido, o Kadima, apontado como favorito à vitória nas eleições de 28 de Março. Aliás, os problemas clínicos de Ariel Sharon não abalaram a popularidade da formação, agora dirigida por Ehud Olmert, vice-primeiro-ministro de Sharon que também, no início do ano, assumiu interinamente a chefia do governo.