A Euronews deixou de estar acessível no Internet Explorer. Este navegador já não é suportado pela Microsoft, e os mais recentes recursos técnicos do nosso site não podem mais funcionar corretamente. Aconselhamos a utilização de outro navegador, como o Edge, o Google Chrome ou o Mozilla Firefox.
Última hora

Protestos em Paris terminam em distúrbios

Protestos em Paris terminam em distúrbios
Euronews logo
Tamanho do texto Aa Aa

As manifestações de estudantes franceses acabaram de forma violenta em Paris e Rennes. Na capital, depois de uma marcha tranquila onde terão participado 33.000 estudantes, segundo o ministério do Interior, o protesto acabou por degenerar.

Algumas centenas de jovens afrontaram os elementos das forças da ordem e causaram diversos estragos materiais perto da Universidade da Sorbonne. Um quiosque de jornais e uma viatura foram incendiados e várias vitrinas partidas. Pelo menos oito agentes da polícia anti-motim ficaram feridos e 181 manifestantes foram interpelados. O maior sindicato estundantil afirma que cerca de meio milhão de estudantes do secundário e do ensino superior sairam às ruas esta quinta-feira. Já a estimativa das autoridades reduz a metade o número de manifestantes. Para o ministro do Interior, Nicolas Sarkozy, a missão dos seus agentes é clara: “Eu pedi às forças da ordem para serem bastante severos com a canalha que gera distúrbios e protegerem os jovens, ou seja, os manifestantes.” “Demonstração de Força dos Jovens”, “A grande blocagem”, ou “2 em cada 3 franceses contra o CPE” são alguns dos títulos da imprensa gaulesa esta sexta-feira. O Contrato Primeiro Emprego (CPE) lançado há dois meses pelo Governo está a criar uma onda de contestação por todo o país. A medida, destinada aos jovens até aos 26 anos, estabelece um período experimental de dois anos. Os sindicatos de trabalhadores e a oposição contestam igualmente o CPE. Espera-se por isso amanhã uma mobilização generalizada que deverá levar às ruas de França mais de um milhão de manifestantes.