Última hora
This content is not available in your region

Palestinianos pretendem fim da ocupação como resultado do sufrágio israelita

Palestinianos pretendem fim da ocupação como resultado do sufrágio israelita
Tamanho do texto Aa Aa

A situação nos colonatos e as perspectivas de definição unilateral das fronteiras com os territórios palestinianos estão no centro do debate político em Israel.

Por isso, após o triunfo do Hamas nas legislativas palestinianas, estas eleições israelitas representam um ponto-chave na evolução das relações israelo-palestinianas. A um dia do escrutínio, para os palestinianos, qualquer resultado é válido desde que prevaleça o bom senso, como explica o presidente do Conselho Legislativo Palestiniano Abdel Aziz Duaik: “Esperamos que os israelitas voltem à razão e compreendam que somos um povo sob ocupação e que procuramos a liberdade, por isso, gostaríamos que o mundo se mobilizasse para nos livrar da escravatura da ocupação”. Igual opinião tem a antiga ministra Hanan Ashrawi: “Existe um consenso entre os três maiores partidos, um consenso sionista e, claro, uma continuação da política de apropriação de território, de ocupação, de opressão. Mesmo quando olhamos para o principal partido, o Kadima, sabemos que é o partido que institucionalizou a unilateralidade”. Numa altura em que o muro que circunda a Cisjordânia está praticamente terminado, a solução negociada continua a ser a preferida pela maioria dos israelitas e dos palestinianos. No entanto, qualquer que seja o desfecho do escrutínio, Israel não hesitará em avançar para uma desconexão unilateral, para mais tendo em conta que, com a tomada de posse do governo do Hamas, o exército israelita irá cortar relações com a Autoridade Palestiniana.