Última hora

Última hora

Israel vive uma jornada eleitoral decisiva

Em leitura:

Israel vive uma jornada eleitoral decisiva

Israel vive uma jornada eleitoral decisiva
Tamanho do texto Aa Aa

Cinco milhões de eleitores israelitas vão hoje escolher os seus 120 representantes na Knesset e eleger o chefe do executivo. O primeiro-ministro interino, Ehud Olmert, deverá continuar à frente do governo. O Kadima, partido centrista fundado por Ariel Sharon, lidera as intenções de voto. Os israelitas parecem rendidos à linha pragmática que o antigo general adoptou. Recorde-se que Sharon foi vítima de um acidente vascular cerebral no início de Janeiro e permanece em estado de coma. Antes tinha já dado passos unilaterais, como a retirada da Faixa de Gaza, e abandonado o Likud, partido de direita que também tinha ajudado a fundar.

Além de Ehud Olmert, muitos fiéis seguiram Sharon nesta nova aventura política, como Tzipi Livni, mas também adversários de outrora, caso de Shimon Peres, o antigo dirigente trabalhista galardoado com o Prémio Nobel da Paz. Contudo, o Kadima está longe da maioria absoluta. Creditado com 35 assentos pelas sondagens deve suplantar o Likud de Benjamin Netaniahu em duas dezenas de mandatos. Contrário ao posicionamente bastante ideológico que continua a guiar o Likud, o Kadima vai ter de procurar os seus principais parceiros de coligação à esquerda. O Partido Trabalhista de Amir Peretz é o que está melhor posicionado com as sondagens a atribuirem-lhe 21 deputados. Importante será o sentido de voto dos 22 por cento de indecisos, uma vez que representam 28 mandatos.