Última hora

Última hora

Fim de 43 anos de fuga de Bernardo Provenzano, chefe da máfia siciliana

Em leitura:

Fim de 43 anos de fuga de Bernardo Provenzano, chefe da máfia siciliana

Fim de 43 anos de fuga de Bernardo Provenzano, chefe da máfia siciliana
Tamanho do texto Aa Aa

Ao fim de 43 anos, as autoridades italianas detiveram Bernardo Provenzano. O chefe da máfia siciliana da Cosa Nostra foi detido na região natal: Corleone, perto de Palermo, na Sicília, onde é interrogado.

Conhecido da polícia através de uma foto de quando tinha 25 anos, retratos robô e descrições de mafiosos arrependidos, escondia-se numa cabana de pastor, não resistiu e declinou de imediato a identidade. A polícia diz que não houve qualquer denúncia ou traição. Giuseppe Pignatone, procurador-adjunto de Palermo, afirma que, nesta última fase da investigação, seguiram o percurso de encomendas e mensagens desde a casa da família e a zonarural. Pignatone explica que os julgamentos e a acção policial levaram a que se tivesse isolado e se escondesse onde pensava estar seguro. Bernardo Provenzano, com 73 anos, chegou à chefia da máfia em 1993, depois da detenção de Toto Riina. Conhecido como “Binnu o tractor”, pela violência com que eliminava inimigos, Provenzano era também uma lenda pela forma como iludiu e escapou à polícia ao longo de quatro décadas. Foi condenado, à revelia, a prisão perpétua por uma dezena de homicídios. Nos últimos anos, defendia uma espécie de trégua para melhor infiltrar a sociedade e rentabilizar as actividades.