Última hora

Última hora

Nascimento de menino resolve crise de sucessão imperial

Em leitura:

Nascimento de menino resolve crise de sucessão imperial

Nascimento de menino resolve crise de sucessão imperial
Tamanho do texto Aa Aa

Os defensores das tradições imperiais japonesas podem respirar de alívio. A princesa Kiko deu à luz um rapaz, o primeiro herdeiro masculino da família imperial em 40 anos. O menino nasceu por volta das 8h00 em Tóquio. A mãe de 39 anos deu à luz por cesariana, como previsto. O pai da criança é o filho mais novo do imperador Akihito e da Imperadora Michiko.
O primeiro sucessor, o príncipe Naruhito, tem apenas uma menina. Face à inexistência de varões, equacionava-se permitir a herança do trono a princesas, para salvar a dinastia. Aliás, o ano passado, o primeiro-ministro japonês, Junichiro Koisumi, tentou lançar um projecto de reforma para permitir o acesso das mulheres ao trono.

Mas, graças a este nascimento inesperado, os debates sobre a sucessão vao acalmar-se durante algum tempo. Alguns analistas japoneses defendem que é um erro interromper o debate sobre a ascenção feminina ao trono já que o nascimento de um rapaz só resolve o problema da sucessão a curto prazo. Se acontecer alguma coisa ao novo principe, não haverá outros sucessores. Se as alterações propostas pelo governo nipónico forem um dia aprovadas, Aiko, a filha do Principe Nahurito e da princesa Masuko, poderá ser imperatriz.