Última hora
This content is not available in your region

UE ansiosa pela formação do novo governo palestiniano de unidade nacional

UE ansiosa pela formação do novo governo palestiniano de unidade nacional
Tamanho do texto Aa Aa

A Europa não esconde a esperança na formação de um novo governo palestiniano de unidade nacional. Os ministros dos Negócios Estrangeiros da União esperam, do novo gabinete, o reconhecimento de Israel e dos acordos internacionais e a renúncia da violência. Condições para relançar o processo de paz para o médio oriente. Em Bruxelas, Erkki Tuomioja, o chefe da Diplomacia da Finlândia, disse esperar que “as exigências da comunidade internacional e do quarteto sejam cumpridas, o que permitirá retomar o diálogo com a administração palestiniana. Mas, como sempre”, admite, “muitas coisas estão, ainda, em suspenso.”

O presidente palestiniano Mahmud Abbas anunciou, segunda-feira, a intenção de formar um governo de unidade nacional, que permita uma saída para o isolamento e a crise económica, provocada pelo boicote ocidental ao governo do Hamas, vencedor das eleições de Janeiro. O novo executivo deve reunir o movimento islamita e o Fatah, mas a tensão sobre a atribuição das pastas pode conduzir a um braço de ferro e atrasar a sua formação.

Enquanto o executivo não cumprir as exigências internacionais, o mecanismo de ajuda aos palestinianos, instaurado este Verão, e que permite contornar o governo do Hamas, deve ser prolongado. Bruxelas já forneceu 102 milhões de euros de ajuda, através deste mecanismo, que também fornece energia aos hospitais e subsídios aos mais desfavorecidos.

A Euronews deixou de estar acessível no Internet Explorer. Este navegador já não é suportado pela Microsoft, e os mais recentes recursos técnicos do nosso site não podem mais funcionar corretamente. Aconselhamos a utilização de outro navegador, como o Edge, o Google Chrome ou o Mozilla Firefox.