Última hora

Última hora

Começa em Madrid Conferência Sobre a Violência Doméstica

Em leitura:

Começa em Madrid Conferência Sobre a Violência Doméstica

Começa em Madrid Conferência Sobre a Violência Doméstica
Tamanho do texto Aa Aa

A violência doméstica deve ser criminalizada, as vítimas protegidas e os agressores punidos em toda a Europa. Este foi o lema do Dia Internacional para a erradicação da violência contra as mulheres no passado dia 25, iniciativa da ONU e do Conselho da Europa, e é o lema da conferência sobre a violência doméstica que teve início esta segunda-feira em Madrid.

Jose Luis Rodriguez Zapatero anunciou no discurso de inauguração que no próximo dia 15 o seu executivo vai aprovar um plano nacional de sensibilização e prevenção da violência contra as mulheres. Sob anonimato, uma vítima de violência doméstica francesa, apela para que as mulheres que se encontram na mesma situação “fujam, protejam-se, peçam apoio a associações, peçam certificados médicos, e apresentem queixa na polícia. Em suma, protejam-se.”

Um conselho que pode ser útil, mas que em Portugal está longe da realidade. A grande maioria das vítimas continua a não apresentar queixa. Os muitos entraves com que se deparam quando decidem denunciar o seu agressor são a principal razão para explicar esta realidade. Das queixas apresentadas, mais de 60 por cento acabam por ser retiradas e, das que chegam ao fim, apenas em 6,6 por cento dos casos há uma condenação do agressor.