Última hora
This content is not available in your region

Câmara de Jerusalém suspende obras mas mantém escavações arqueológicas

Câmara de Jerusalém suspende obras mas mantém escavações arqueológicas
Tamanho do texto Aa Aa

A câmara de Jerusalém suspendeu, esta segunda-feira, as obras de construção de uma controversa rampa de acesso à Esplanada das Mesquitas.

No entanto, a medida acabou por não acalmar os ânimos da comunidade muçulmana porque as escavações arqueológicas também junto ao local não foram suspensas.

De acordo com o porta-voz da câmara com esta medida o presidente Uri Lupolianski quis “associar os habitantes da cidade às obras” para que tudo seja feito com a maior transparência, no entanto Ahmed Tibi, deputado árabe-israelita, refere que “se trata de uma área sensível. Já ficou provado, no passado, que qualquer actividade israelita seria vista como uma provocação e está a ferir os sentimentos de todo o mundo islâmico.”

Há também quem veja esta suspensão como um sinal de fraqueza. Benny Elon, deputado de direita, refere que a Câmara parou as obras porque “tem medo, o que é o princípio do fim. Espero que outras pessoas possam corrigir as medidas erradas do presidente da câmara.”

O reforço das medidas de segurança em Jerusalém resultou numa acalmia, esta segunda-feira. O mesmo já não se pode dizer de Hebron, na Cisjordânia, onde as ruas foram invadidas por manifestantes que exigem o fim imediato das obras junto à Esplanada das Mesquitas, terceiro local sagrado do Islão.

O protesto levou à intervenção do exército israelita, que utilizou granadas de gás lacrimogéneo para dispersar os manifestantes.