A Euronews deixou de estar acessível no Internet Explorer. Este navegador já não é suportado pela Microsoft, e os mais recentes recursos técnicos do nosso site não podem mais funcionar corretamente. Aconselhamos a utilização de outro navegador, como o Edge, o Google Chrome ou o Mozilla Firefox.
Última hora

Extremistas iranianos reivindicam atentado

Extremistas iranianos reivindicam atentado
Euronews logo
Tamanho do texto Aa Aa

O grupo rebelde iraniano Jundalah, ou soldados de deus, reivindicou a autoria do atentado que esta quarta-feira resultou na morte de pelo menos 11 pessoas e causou 31 feridos.

Um engenho explosivo colocado numa viatura à beira da estrada destruiu um autocarro que tranportava guardas da Revolução provenientes da base militar terrestre localizada na cidade fornteiriça de Zahedan, na região de Sistan-Baluchistão.

Uma província no sudeste do país, junto às fronteiras paquistanesa e afegã que é habitada por uma importante minoria sunita.

São frequentes os atentados e os confrontos entre as forças militares iranianas e os grupos que se dedicam ao tráfico de droga ou se dizem descriminados por Teerão.

Desde 1979, ano da revolução islâmica, morreram mais de 3 mil membros das forças de segurança iranianas envolvidos no combate ao tráfico de estupefacientes.