A Euronews deixou de estar acessível no Internet Explorer. Este navegador já não é suportado pela Microsoft, e os mais recentes recursos técnicos do nosso site não podem mais funcionar corretamente. Aconselhamos a utilização de outro navegador, como o Edge, o Google Chrome ou o Mozilla Firefox.
Última hora

Presidente italiano anuncia amanhã solução para crise política

Presidente italiano anuncia amanhã solução para crise política
Euronews logo
Tamanho do texto Aa Aa

Após dois dias de consultas, o presidente italiano Giorgio Napolitano garantiu esta noite, em declarações à televisão pública, que vai anunciar amanhã a solução para a crise desencadeada pela demissão do primeiro-ministro Romano Prodi. Uma solução, que segundo os analistas, deverá passar por uma segunda oportunidade para a coligação de centro-esquerda.

Os partidos da coligação apelaram esta tarde ao presidente para que reconduza Prodi no governo, e submeta a decisão a um voto de confiança no Parlamento. Os representantes acenaram a Napolitano com uma maioria de 161 senadores prontos a renovarem a confiança a Prodi (157 do centro esquerda mais quatro de centro-direita).

Ontem as formações de esquerda tinham renovado o apoio a Prodi, aprovando um pacto com 12 pontos não negociáveis exigidos por “Il professore” para continuar no poder. O programa refere-se tanto aos compromissos internacionais de Itália com União Europeia e Estados Unidos , nomeadamente no Afeganistão, como à exigência de manter uma unidade em torno das posições do primeiro-ministro.

Para a oposição de direita, o pacto não tem, no entanto, qualquer valor. O presidente da Forza Itália, Silvio Berlusconi, que defendera publicamente a convocação de eleições, afirma-se “preocupado” com o eventual regresso de Prodi, depois do que chamou de “fracasso do líder ao não conseguir assegurar a estabilidade do país”.

A unidade reencontrada à esquerda estende-se também ao partido da refundação comunista, cujos deputados dissidentes tinham aberto a crise ao não aprovarem medidas do governo. Esta noite o líder da formação afastou um senador dissidente, dando garantias de que os partidos da União votarão em bloco durante toda a próxima legislatura ao lado de Prodi, caso este seja reconduzido.