Última hora
This content is not available in your region

Rússia suspende aplicação de tratado militar com NATO

Rússia suspende aplicação de tratado militar com NATO
Tamanho do texto Aa Aa

A Rússia decidiu suspender a aplicação do tratado das Forças Convencionais na Europa fazendo relembrar os tempos da Guerra Fria. O projecto norte-americano de erguer um escudo antimisseis, com infraestruturas na Polónia e na República Checa, terá sido a gota de água que motivou Moscovo a suspender um tratado assinado em 1990 entre os países da aliança atlântica e do extinto Pacto de Varsóvia.

Na reunião dos ministros dos Negócios Estrangeiros da NATO, em Oslo, na Noruega, o chefe da diplomacia russa, Serguei Lavrov, anunciou que “Moscovo está preparada para abandonar o tratado se os Estados da Nato não ratificarem a versão actualizada de 1999”. Lavrov referiu que “a Rússia não pode estar desinteressada do facto das infraestruturas da aliança atlântica estarem a crescer em direcção às suas fronteiras”.

O secretário-geral da Nato, o holandês Jaap de Hoop Scheffer, não escondeu a sua preocupação.
“Recebemos esta mensagem com apreensão, com bastante preocupação, desapontamento e pesar. Os aliados são da opinião de que o tratado constitui um pilar fundamental da segurança na Europa.”

O tratado de armas de Forças Convencionais na Europa, assinado em 1990 foi modificado em 99 sob égide da Organização para a Segurança e Cooperação na Europa.

Até ao momento, apenas a Rússia, o Casaquistão, a Bielorússia e a Ucrânia ratificaram essa versão.