Última hora
This content is not available in your region

Hollande pede aos socialistas mais esforços para as legislativas

Hollande pede aos socialistas mais esforços para as legislativas
Tamanho do texto Aa Aa

O Partido Socialista francês “meteu o contador a zero”: tem a primeira reunião hoje para preparar o Conselho Nacional de sábado e decidir como vai conduzir a campanha para as eleições legislativas.

O secretário-geral, François Holande, que vive maritalmente com a candidata socialista, avisou que “não vai tolerar qualquer ajuste de contas e todos devem cerrar fileiras à sua volta. Ela é muito popular, fez uma boa campanha e estará nas legislativas ao lado dos líderes de esquerda”.

Royal trouxe esperança ao eleitorado socialista por isso a campanha será ao lado dos líderes. O fim do sonho de Ségolèle Royal, uma candidata que soube, espectacularmente bem conquistar o coração de uma grande parte do eleitorado mas não soube dissipar as dúvidas dos correlegionários de partido, foi uma desilusão para o seu eleitorado.

Mas Madame, está satisfeita com o caminho percorrido e mostra-se pronta a continuar: o que começou será acabado convosco, disse aos socialistas quando soube os resultados do escrutínio popular. Podem contar com ela para aprofundar a renovação da esquerda e a procura das novas convergências. Prometeu fazer este trabalho insdipensável assumir a responsabilidade que lhe incumbiram.

Dominique Strauss-Kahn – vencido por Ségolène nas primárias socialistas e que era apontado para primeiro-ministro se ela tivesse ganho – apesar do aviso, apontou baterias à direcção do PS, directamente, e à própria candidata, indirectamente. Strauss-Kahn considerou que a “Esquerda nunca esteve tão fraca na primeira volta, nem mesmo em 2002. E porque é que esteve assim tão fraca? Porque não se soube renovar.” O Partido Socialista vai reaprender a cerrar fileiras a partir nesta reunião pós-eleitoral. Quase metade da República de França o exige.