Última hora
This content is not available in your region

Fim da greve na SAS

Fim da greve na SAS
Tamanho do texto Aa Aa

Ao fim de cinco dias consecutivos de paralisação, a administração e os sindicatos que representam os empregados suecos da SAS chegaram a acordo.

A divisão sueca da companhia aérea vai aumentar os trabalhadores em 10,3% ao longo dos próximos três anos. Prometeu também uma melhoria das condições de trabalho, incluindo melhor horário de trabalho e pausas mais prolongadas – terá sido esse o ponto decisivo que pôs fim à greve. A semana de trabalho foi limitada a 42 horas.

O balanço final é uma perda de quase 11 milhões de euros. A greve causou o cancelamento de 1200 voos, com partida ou destino nos aeroportos suecos, e deixou 90 mil passageiros em terra.

A SAS pertence, em 50%, aos governos da Suécia, Dinamarca e Noruega. O resto está nas mãos de investidores privados.

É a quarta maior companhia aérea da Europa, em termos de passageiros transportados.

A Euronews deixou de estar acessível no Internet Explorer. Este navegador já não é suportado pela Microsoft, e os mais recentes recursos técnicos do nosso site não podem mais funcionar corretamente. Aconselhamos a utilização de outro navegador, como o Edge, o Google Chrome ou o Mozilla Firefox.