Última hora
This content is not available in your region

Banco de Inglaterra sobe juros, BCE mantém taxa

Banco de Inglaterra sobe juros, BCE mantém taxa
Tamanho do texto Aa Aa

O dinheiro está mais caro no Reino Unido. Tal como era esperado pelos analistas, o Banco de Inglaterra aumentou a taxa de juro de referência em 25 pontos de base, dos 5,5% para os 5,75%.

A inflação na Grã-Bretanha deve continuar a subir, segundo as previsões, o que levou o Conselho de Política Monetária do Banco de Inglaterra a decidir este aumento, o quinto desde Agosto do ano passado.

A taxa de juro britânica, que era já a maior entre as principais economias do mundo, distancia-se ainda mais das outras. A taxa da Fed, nos Estados unidos, é de 5,25%, enquanto a do Banco Central Europeu é de 4%.

A libra esterlina tem vindo a ganhar valor e mantém-se acima da cotação de dois dólares.

O BCE esteve também reunido, esta quinta-feira, e deixou a taxa de juro inalterada. O presidente Jean-Claude Trichet deu a entender que não iria mexer no preço do dinheiro em Setembro, mas é provável que o faça na reunião de Outubro.

A chave está na subrileza das palavras de Trichet: “O Conselho de Governadores vai continuar a vigiar de perto todos os desenvolvimentos, para assegurar que os riscos à estabilidade dos preços a médio prazo não se materializam, e as expectativas de inflação a médio e longo prazo seguem ancoradas a níveis consistentes com a estabilidade dos preços”.

Nos discursos de Trichet, a expressão “vigiar de perto” significa um adiamento da decisão, enquanto “vigiar de muito perto” significa que o aumento dos juros vai acontecer na reunião seguinte.

O BCE só deve parar o actual ciclo quando a taxa directora atingir os 4,5%.

A Euronews deixou de estar acessível no Internet Explorer. Este navegador já não é suportado pela Microsoft, e os mais recentes recursos técnicos do nosso site não podem mais funcionar corretamente. Aconselhamos a utilização de outro navegador, como o Edge, o Google Chrome ou o Mozilla Firefox.