Última hora
This content is not available in your region

General muçulmano da Bósnia julgado pelo TPI

General muçulmano da Bósnia julgado pelo TPI
Tamanho do texto Aa Aa

Rasim Delic começou esta tarde a ser julgado por crimes de guerra no Tribunal Penal Internacional (TPI) de Haia. Os juízes decidiram não transferir o processo do ex-general muçulmano bósnio para Sarajevo, como exigia o procurador. Na base do requerimento estão as limitações de tempo e de convocação de testemunhas impostas pelos juízes para acelerar o processo.

O general, antigo chefe de uma unidade de islamistas voluntários, é um dos raros responsáveis muçulmanos a ser julgado pelo TPI. Delic é acusado de violação, tortura e assassínio de croatas e sérvios da Bósnia durante o conflito no país em meados dos anos noventa. Delic que se declara inocente, tinha-se rendido ao TPI em 2005, tendo aguardado o julgamento em liberdade.

O general é acusado dos crimes praticados pelos combatentes islâmicos, parte dos quais estrangeiros, que nos anos 90 engrossaram as fileiras dos muçulmanos da Bósnia. Entre as acções conta-se a execução de 20 croatas em 1993 e de vários militares sérvios no campo de detenção de Kamenica em 1995.