A Euronews deixou de estar acessível no Internet Explorer. Este navegador já não é suportado pela Microsoft, e os mais recentes recursos técnicos do nosso site não podem mais funcionar corretamente. Aconselhamos a utilização de outro navegador, como o Edge, o Google Chrome ou o Mozilla Firefox.
Última hora

Morreu Ingmar Bergman, o mestre do cinema sueco

Morreu Ingmar Bergman, o mestre do cinema sueco
Euronews logo
Tamanho do texto Aa Aa

Ingmar Bergman faleceu de forma tranquila na sua casa na ilha Faaro, no Mar Báltico, cenário de muitos dos seus filmes. A notícia foi revelada pela filha esta manhã, após meses de rumores sobre a degradação do estado de saúde do realizador sueco.

Ao longo da carreira, Ingmar Bergman escreveu uma dezena de argumentos, encenou 50 peças de teatro e realizou mais de 40 filmes. A carreira começou com um estágio de encenador na Ópera de Estocolmo, nos anos 40. Anos depois considerou que o cinema era o único meio moderno de se exprimir, mas não abandonou o teatro.

O primeiro filme, “Crise”, data de 1945. Em 1982, realizou “Fanny e Alexandre”, galardoado com quatro Óscares. Recebeu inúmeros prémios, entre eles a Palma das Palmas, em Cannes, e dois Leões de Ouro, no festival de Veneza. A última obra é “Saraband”, em 2003.

O percurso de Bergman foi marcado por uma visão trágica e pela complexidade das relações entre homens e mulheres. Um génio artístico reconhecido que é agora sinónimo de um prémio para jovens realizadores, na Suécia. Faleceu aos 89 anos e deixa nove filhos de cinco casamentos.