Última hora
This content is not available in your region

Michelangelo Antonioni sai de cena aos 94 anos

Michelangelo Antonioni sai de cena aos 94 anos
Tamanho do texto Aa Aa

O cinema europeu está mais pobre. Em 24 horas o “velho continente” perdeu dois dos mais importantes vultos da 7ª arte. 30 de Julho marca o último adeus de Michelangelo Antonioni e de Ingmar Bergman. A notícia da morte do cineasta italiano de 94 anos só foi conhecida esta terça-feira. Parcialmente paralisado e impedido de falar desde que sofreu um acidente cerebral em 1985, Antonioni contou com o apoio de Wim Wenders e Steven Soderberg para as suas derradeiras obras: “Além das Nuvens”, de 1995 e “Eros”, de 2004. Aquando da entrega do Óscar pela carreira, Jack Nickolson, o protagonista de “Profissão: Repórter”, sintetizou a principal característica de Antonioni, um cineasta “que será sempre atraído pela beleza, porque a beleza é verdadeira” O estilo de Antonioni começa a revelar-se em 1960 com “A Aventura”, que marca o nascimento do cinema introspectivo. A consagração chega com “Blow Up: História de um fotógrafo”, pelo qual recebeu a Palma de Ouro de Cannes em 1967. Quase uma década depois em 75, assina “Profissão: Repórter”, para muitos a obra mais bem conseguida no plano estilístico e político. Marcelo Mastroianni, Jane Birkin ou Monica Vitti que o acompanhou ao longo de uma década são alguns dos actores que trabalharam com Antonioni. Nos últimos tempos Antonioni dedicou-se à pintura, o adeus chegou aos 94 anos.

A Euronews deixou de estar acessível no Internet Explorer. Este navegador já não é suportado pela Microsoft, e os mais recentes recursos técnicos do nosso site não podem mais funcionar corretamente. Aconselhamos a utilização de outro navegador, como o Edge, o Google Chrome ou o Mozilla Firefox.