A Euronews deixou de estar acessível no Internet Explorer. Este navegador já não é suportado pela Microsoft, e os mais recentes recursos técnicos do nosso site não podem mais funcionar corretamente. Aconselhamos a utilização de outro navegador, como o Edge, o Google Chrome ou o Mozilla Firefox.
Última hora

Farmacêutica recusa conclusão de relatório Governamental

Farmacêutica recusa conclusão de relatório Governamental
Euronews logo
Tamanho do texto Aa Aa

Não há evidências de que o vírus de febre aftosa tenha saído de uma farmacêutica próxima da zona onde foi detectada a doença, em Inglaterra. Um relatório governamental aponta para a possibilidade do vírus ter sido transportado por humanos do Laboratório Pirbright, mas a farmacêutica Merial Animal Health nega esta hipótese. A Merial, que partilha as instalações de Pirbright com o Instituto de Saúde Animal (entidade governamental), realizou intensas investigações internas, que não encontraram indícios da possibilidade apontada pelo relatório, há cinco dias. O surto de febre aftosa detectado em quintas no sudeste de Inglaterra fez com que a Comissão Europeia proibisse a importação de animais vivos, carne e lacticínios provenientes do Reino Unido.