Última hora
This content is not available in your region

Farmacêutica recusa conclusão de relatório Governamental

Farmacêutica recusa conclusão de relatório Governamental
Tamanho do texto Aa Aa

Não há evidências de que o vírus de febre aftosa tenha saído de uma farmacêutica próxima da zona onde foi detectada a doença, em Inglaterra. Um relatório governamental aponta para a possibilidade do vírus ter sido transportado por humanos do Laboratório Pirbright, mas a farmacêutica Merial Animal Health nega esta hipótese. A Merial, que partilha as instalações de Pirbright com o Instituto de Saúde Animal (entidade governamental), realizou intensas investigações internas, que não encontraram indícios da possibilidade apontada pelo relatório, há cinco dias. O surto de febre aftosa detectado em quintas no sudeste de Inglaterra fez com que a Comissão Europeia proibisse a importação de animais vivos, carne e lacticínios provenientes do Reino Unido.

A Euronews deixou de estar acessível no Internet Explorer. Este navegador já não é suportado pela Microsoft, e os mais recentes recursos técnicos do nosso site não podem mais funcionar corretamente. Aconselhamos a utilização de outro navegador, como o Edge, o Google Chrome ou o Mozilla Firefox.