Última hora

Extrema-direita volta a protagonizar protestos violentos em Budapeste

Extrema-direita volta a protagonizar protestos violentos em Budapeste
Euronews logo
Tamanho do texto Aa Aa

Pelo menos cinco pessoas ficaram feridas, esta noite em Budapeste, na sequência de confrontos entre centenas de manifestantes de extrema-direita e a polícia. Como há um ano, os protestos tinham como alvo o primeiro-ministro, na véspera do aniversário da revolta húngara de 1956 contra o poder soviético. Os manifestantes tentaram forçar uma barreira policial junto à ópera da cidade, onde o primeiro-ministro Ferenc Gyurcsany, participava numa cerimónia oficial.

A polícia teve que intervir com canhões de água e gás lacrimogéneo, depois dos agentes terem sido alvo de cocktails molotov. Pelo menos três pessoas foram detidas, entre as quais Laszlo Toroczkai, líder da extrema-direita que encabeçava a manifestação.

Entre os feridos encontram-se pelo menos três fotojornalistas. A manifestação foi convocada pelo grupo de auto-defesa húngara, que em 2006 tinha protagonizado semanas de protestos violentos para exigir a demissão do primeiro-ministro.

Desde então que a popularidade de Gyurcsany se encontra em queda livre, ensombrando o programa de reformas económicas do governo. O mais recente escândalo, visa o ministro das Finanças, acusado de fuga ao fisco.

A Euronews deixou de estar acessível no Internet Explorer. Este navegador já não é suportado pela Microsoft, e os mais recentes recursos técnicos do nosso site não podem mais funcionar corretamente. Aconselhamos a utilização de outro navegador, como o Edge, o Google Chrome ou o Mozilla Firefox.