Última hora
This content is not available in your region

Parlamento espanhol aprova lei da "memória histórica"

Parlamento espanhol aprova lei da "memória histórica"
Tamanho do texto Aa Aa

A Espanha começa a levantar o véu sobre os crimes do regime franquista, 32 anos após o fim da ditadura. O Parlamento aprovou hoje em primeira leitura a chamada lei da “memória histórica”. O documento, apresentado pelo governo socialista, prevê entre outras medidas, a reabilitação das dezenas de milhares de vítimas da ditadura, em especial da guerra civil, assim como a remoção dos símbolos franquistas dos espaços públicos.

No hemiciclo apenas os conservadores do PP, e os independentistas catalães votaram contra a lei por razões diferentes. Os populares por considerarem que a lei ressuscita as divisões no país, os independentistas por acharem-na demasiado branda O documento vai agora ser submetido ao Senado, devendo regressar ao Parlamento até ao fim do ano para uma votação final.

Primeiro passo para quebrar o “pacto de silêncio” da transição espanhola, a lei permitirá entre outras medidas concretas a anulação dos julgamentos sumários da ditadura, que levaram à execução de dezenas de milhares de opositores, a maioria republicanos.

Entre os maiores apoiantes da lei encontram-se várias associações que se dedicam a identificar cadáveres de opositores republicanos, entre os milhares de corpos que ainda hoje permanecem em fossas comuns, um pouco por todo o país.

A Euronews deixou de estar acessível no Internet Explorer. Este navegador já não é suportado pela Microsoft, e os mais recentes recursos técnicos do nosso site não podem mais funcionar corretamente. Aconselhamos a utilização de outro navegador, como o Edge, o Google Chrome ou o Mozilla Firefox.