A Euronews deixou de estar acessível no Internet Explorer. Este navegador já não é suportado pela Microsoft, e os mais recentes recursos técnicos do nosso site não podem mais funcionar corretamente. Aconselhamos a utilização de outro navegador, como o Edge, o Google Chrome ou o Mozilla Firefox.
Última hora

Bush tenta ficar na história do Médio Oriente

Bush tenta ficar na história do Médio Oriente
Euronews logo
Tamanho do texto Aa Aa

George W. Bush iniciou, esta quarta-feira, a primeira visita do seu mandato presidencial a Israel e à Cisjordânia.

Bush tenta dar um novo impulso às negociações de paz retomadas em Annapolis para tentar o projecto mais ambicioso, em que falharam todos os seus antecessores: criar as condições até ao final do seu mandato para a criação do estado palestiniano.

Este primeiro dia da estada no Médio Oriente foi de encontros com as autoridades israelitas; amanhã desloca-se à Cisjordânia.

Na conferência de imprensa conjunta, Ehud Olmert afirmou que “é preciso envolver no processo também a Faixa de Gaza porque”, disse, “ enquanto houver terror vindo de Gaza, vai ser difícil chegar a um entendimento pacífico entre nós e os palestinianos”.

Bush não toma partido, afirma: “A América não pode ditar os termos do que será o novo estado. A única forma de se alcançar a paz, a única forma de um acordo é que as duas partes se encontrem e façam estas escolhas difíceis. Mas nós ajudaremos. Nós queremos ajudar”.

Mas, para além da questão nova da Faixa de Gaza, o processo tem os mesmos entraves de sempre: o problema dos refugiados, o estatuto de Jerusalém e os colonatos judeus. Dificuldades esquecidas pelo menos durante a cerimónia de boas vindas.