Última hora
This content is not available in your region

Onça de ouro chega aos 900 dólares

Onça de ouro chega aos 900 dólares
Tamanho do texto Aa Aa

Mais um dia, mais um recorde para a onça de ouro. A marca dos 900 dólares foi finalmente atingida, em Nova Iorque. Além de Londres e Nova Iorque, os principais mercados do precioso metal, também nas bolsas asiáticas o ouro está a atingir novos máximos históricos.

Com o dólar a caír e a estimular os investidores, os recordes sucedem-se. As marcas atingidas durante a febre de 1980 pareciam inabaláveis, mas este ano caíram. Até 2000, as cotações estiveram a caír, mas depois começaram a recuperar. Só no ano passado, o ouro encareceu mais de 30%, com uma média de 700 dólares por onça.

Os analistas dizem que, à semelhança do petróleo que atingiu o que há alguns anos era impossível, os 100 dólares, também o ouro pode chegar, a médio ou mesmo a curto prazo, a uma barreira histórica, a dos 1000 dólares a onça.

Lou Grasso, corretor de ouro, diz que “comprar ouro é uma forma de manter poder de compra, uma vez que está cotado em dólares e o dólar tem vindo a perder valor”

A subida de agora é ainda mais significativa que a de há 28 anos, uma vez que nessa altura a febre do ouro foi causada por uma inflação de dois dígitos na economia norte-americana, o que agora não acontece.

O começo da cotação do ouro em Xangai está também a ajudar estas subidas e deve continuar a dar suporte aos preços, durante este ano.

A Euronews deixou de estar acessível no Internet Explorer. Este navegador já não é suportado pela Microsoft, e os mais recentes recursos técnicos do nosso site não podem mais funcionar corretamente. Aconselhamos a utilização de outro navegador, como o Edge, o Google Chrome ou o Mozilla Firefox.