Última hora
This content is not available in your region

PE vota quarta-feira proposta sobre crédito ao consumo

 PE vota quarta-feira proposta sobre crédito ao consumo
Tamanho do texto Aa Aa

Dois em cada três europeus pedem um empréstimo, para comprar um carro, os móveis ou os electrodomésticos. Mas poucos contraem créditos no estrangeiro. Bruxelas quer facilitar esta mobilidade financeira e apresentou uma proposta de harmonização. Uma das medidas chave é o direito ao reembolso antecipado do crédito ao consumo, com uma indemnização a pagar ao banco que não ultrapassará um por cento do capital em dívida.

A medida satisfaz a directora-geral da Federação Europeia de Associações de Consumidores, Monique Goyens: “Todas as instituições – Comissão, Parlamento, Conselho… – estão de acordo para dizer que o consumidor tem o direito de pagar mais cedo do que previsto todo o saldo do crédito em dívida. É o princípio de que ‘quem paga as dívidas, enriquece’ e é preciso deixar essa liberdade aos consumidores.”

Os consumidores devem também ter a liberdade de escolher a melhor oferta de crédito. Mas, para tal, é preciso comparar. Bruxelas quer que a TAEG – Taxa Anual Efectiva Global – seja indicada de forma padronizada, em todos os países. Assim, talvez no futuro, os portugueses passem a fazer os créditos na Finlândia – a taxa média finlandesa é de 6,3%, contra 12,2 em Portugal.

A proposta de Bruxelas foi debatida, esta terça-feira no parlamento Europeu, em Estrasburgo, um dia antes de ser submetida ao voto dos eurodeputados.

A Euronews deixou de estar acessível no Internet Explorer. Este navegador já não é suportado pela Microsoft, e os mais recentes recursos técnicos do nosso site não podem mais funcionar corretamente. Aconselhamos a utilização de outro navegador, como o Edge, o Google Chrome ou o Mozilla Firefox.