Última hora
This content is not available in your region

Comité Bioético da CE tem "dúvidas" sobre alimentos de animais clonados

 Comité Bioético da CE tem "dúvidas" sobre alimentos de animais clonados
Tamanho do texto Aa Aa

Está aberto o debate ético sobre os alimentos oriundos de animais clonados. O Comité de Bioética da Comissão Europeia (CE) publicou, esta quinta-feira, o seu parecer: “Tendo em conta o sofrimento e os problemas de saúde dos animais clonados, o comité tem dúvidas sobre a justificação ética da clonagem de animais com fins alimentares.”

Sexta-feira, a Agência Europeia de Segurança Alimentar tinha considerado “muito improvável que existissem diferenças, em termos de segurança alimentar, entre os produtos da clonagem e os de animais tradicionais”.
Nina Papadoulaki, porta-voz da Comissão Europeia, garante que, “actualmente, os produtos dos clones não são comercializados na Europa. Na Europa, só se faz clonagem para fins científicos”.

A clonagem permite de escolher os animais com as melhores qualidades genéticas. Mas a técnica, que consiste em transferir o núcleo de uma célula adulta para uma célula embrionária, fazendo assim um animal igual ao primeiro, ainda é muito dispendiosa.

Os Estados Unidos – onde já foram produzidos 570 animais clonados, sobretudo vacas – deram, esta terça-feira, luz verde, à comercialização de alimentos destes animais – excepção feita aos ovinos, sobre os quais não há dados suficientes.

No entanto, os peritos estimam que só daqui a uns cinco anos é que os supermercados americanos terão à venda alimentos de animais clonados.