Euronews is no longer accessible on Internet Explorer. This browser is not updated by Microsoft and does not support the last technical evolutions. We encourage you to use another browser, such as Edge, Safari, Google Chrome or Mozilla Firefox.

Última hora

Última hora

27 não chegam a entendimento para assinar acordo de associação com a Sérvia

27 não chegam a entendimento para assinar acordo de associação com a Sérvia
Tamanho do texto Aa Aa

A União Europeia propôs hoje à Sérvia a assinatura de um acordo temporário de cooperação, a 7 de Fevereiro, data da segunda volta das presidenciais. A decisão, anunciada após o conselho de ministros dos negócios estrangeiros em Bruxelas, refere-se à liberalização de vistos e cooperação económica.

Um entendimento de última hora, depois dos 27 não terem chegado a um acordo para assinar o tratado de estabilidade e associação com Belgrado. A Holanda vetou a decisão, exigindo que Belgrado entregue os criminosos de guerra procurados pela justiça internacional.

Uma posição que representa um revés para as expectativas do Comissário europeu para o alargamento, Olli Rehn, a uma semana da segunda volta das eleições sérvias. “Os sérvios vão decidir nas urnas se querem um futuro europeu ou um passado nacionalista e hoje a União tem de dar um sinal forte, e decidir assinar o mais rapidamente possível o acordo de estabilização e associação”.

O acordo foi rubricado há semanas com o presidente pró-europeu Boris Tadic, derrotado na primeira volta das eleições, pelo seu opositor o ultranacionalista, pró-russo, Tomislav Nikolic.

Um resultado que penaliza também o apoio da União Europeia à independência do Kosovo, rejeitada pela Rússia. Em caso de vitoria de Nikolic no domingo, Bruxelas perde um interlocutor previligeado em Belgrado, e o Kosovo ameaça declarar unilateralmente a sua independência. Prevendo um período de instabilidade, a União bloqueou já os preparativos para enviar 2000 polícias e juristas para assistir à independência do território.

A luz verde só deverá ser dada depois de domingo para evitar inflamar sensibilidades em Belgrado, onde a maioria do eleitorado considera o Kosovo como parte integrante do território sérvio.