Euronews is no longer accessible on Internet Explorer. This browser is not updated by Microsoft and does not support the last technical evolutions. We encourage you to use another browser, such as Edge, Safari, Google Chrome or Mozilla Firefox.

Última hora

Última hora

Honras de Estado e militares para o general Suharto

 Honras de Estado e militares para o general Suharto
Tamanho do texto Aa Aa

O presidente da Indonésia decretou uma semana de luto nacional em homenagem a Haji Muhammad Suharto, enterrado hoje em Solo na ilha de Java. O ditador indonésio morreu este domingo após vinte e três dias de internamento hospitalar.

Dezenas de milhares de pessoas assistiram ao funeral do homem que governou o país com mão de ferro durante mais de trinta anos. As autoridades de Jacarta decretaram uma semana de luto nacional mas o legado do ditador de 86 anos suscita debate entre os indonésios.

Alguns defendem o perdão para Suharto, outros exigem que o Estado o julgue por corrupção e violação dos direitos humanos. O seu regime levou à morte de centenas de milhares opositores e independentistas.

Suharto era considerado como um dos ditadores mais corruptos do mundo, tendo amealhado em bancos no estrangeiro uma fortuna avaliada entre dez e vinte mil milhões de euros.

Muitas figuras políticas da região compareceram ao funeral do antigo-fiel aliado dos Estados Unidos.

Xanana Gusmão foi um dos representantes estrangeiros presentes. O primeiro-ministro timorense que esteve preso durante a ditadura de Suharto explicou que a sua presença se deve “à vontade de esquecer o passado e construir um novo relacionamento com a Indonésia”.