Última hora
This content is not available in your region

Presidente italiano poderá convocar eleições antecipadas para Abril

 Presidente italiano poderá convocar eleições antecipadas para Abril
Tamanho do texto Aa Aa

As eleições antecipadas parecem ser a única saída para a crise política em Itália, há 10 dias sem governo. A alternativa de formar um executivo de transição, liderado por Franco Marini, caíu ontem por terra. À saída de uma reunião com o chefe de Estado, o presidente do Senado anunciou o abandono das negociações com os partidos para reformar a lei eleitoral, antes de convocar novas eleições.

Na base do fracasso de Marini está a posição da coligação de centro-direita, liderada por Silvio Berlusconi, que desde a demissão do governo, exige a convocação de eleições antecipadas.

Para o Partido Democrata, que reúne as formações de centro-esquerda, a decisão de avançar para um sufrágio sem reformar a lei eleitoral, arrisca-se a perpetuar a instabilidade da política italiana.

Valter Veltroni, líder da formação, apontado como sucessor de Prodi, lamentou ontem o que chamou de, “oportunidade perdida para a política italiana”.

As divisões entre os nove partidos da coligação governamental tinham levado há duas semanas à demissão do 61o governo italiano, em 62 anos.

Uma oportunidade para o regresso de Berlusconi à ribalta, que em caso de eleições, deverá fazer face a um centro-esquerda reunido em torno da figura do carismático Veltroni.

A decisão de convocar eleições antecipadas, à partida para Abril, poderá ser anunciada nos próximos dias pelo presidente Napolitano.

A Euronews deixou de estar acessível no Internet Explorer. Este navegador já não é suportado pela Microsoft, e os mais recentes recursos técnicos do nosso site não podem mais funcionar corretamente. Aconselhamos a utilização de outro navegador, como o Edge, o Google Chrome ou o Mozilla Firefox.