Última hora
This content is not available in your region

Junta militar pode ser acusada de crimes contra humanidade

 Junta militar pode ser acusada de crimes contra humanidade
Tamanho do texto Aa Aa

A junta militar do que governa o Mianmar poderá enfrentar acusações de crimes contra a humanidade se permanecer com as portas fechadas ao auxílio humanitário internacional. A hipótese foi levantada pela Espanha durante a reunião dos 27 em Bruxelas convocada de urgência para analisar os impedimentos de ajuda às populações de que a junta militar birmanesa é acusada.

Diego Lopez Garrido, secretário de Estado espanhol para os assuntos europeus afirmou que “se a junta colocar demasiados obstáculos a este auxílio teremos um caso em que se pode considerar crime contra a humanidade. Com esta atitude, a junta permite que milhares e milhares de pessoas morram”.

Os 27 pediram a Mianmar para dar acesso sem restrições às zonas afectadas e através da França e do Reino Unido vão apresentar um projecto de resolução nas Nações Unidas nesse sentido.

O comissário europeu para a ajuda humanitária Louis Michel deslocou-se a Mianmar para conversações com as autoridades daquele país.

No terreno o mau tempo que se faz sentir complica ainda mais auxílio num país em que se estima que o ciclone Nargis tenha provocado mais de 100 mil mortos ou desaparecidos.